Bombeiros baianos que atuaram em Brumadinho chegam a Salvador


Os
bombeiros baianos que atuaram no trabalho de resgate na tragédia de Brumadinho,
em Minas Gerais, chegaram a Salvador na tarde desta quinta-feira (14). Eles
foram recebidos pelo comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Francisco
Telles, e por familiares, na sede da corporação, na Barroquinha. No total, 31
bombeiros militares foram enviados da Bahia para Minas Gerais no dia 31 de
janeiro. 
Segundo
o coronel Francisco Telles, a Bahia foi um dos estados com maior número de
bombeiros especializados em situação de colapso a atuar no momento mais crítico
das buscas. “Além da preparação por meio de cursos, esses bombeiros são
colocados na experiência diária para que possam atuar da melhor forma em
situações de extrema dificuldade. Tanto que a maioria deles são especialistas e
são profissionais que atuam em várias partes do nosso estado. Encaminhamos os
melhores bombeiros para oferecer a melhor ajuda possível”, afirmou. 
O
coronel ainda explicou que os bombeiros retornaram porque os trabalhos em
Brumadinho não demandam auxilio de efetivo extra. “Como regra técnica, um
bombeiro deve trabalhar cerca de 10 dias em um ambiente tão inóspito como
aquele. Nesse momento, as máquinas passaram a cada vez mais fazer parte do
processo. Fizemos uma análise técnica de que era o momento das forças que não
são de Minas retornarem para os seus estados. Lá, fomos muito eficazes e
tivemos oportunidade de entregar às famílias os seus entes queridos, para que
pudessem ser enterrados”, esclareceu. 
A
força-tarefa baiana em Minas Gerais foi comandada pelo major Ramon Gabriel. Ele
revelou que o trabalho do grupo foi orientado para a realização de busca e
resgate em estruturas colapsadas. O trabalho especializado foi fundamental para
garantir o sucesso da atuação nas buscas. 
“Era
um trabalho muito exaustivo e precisamos ter um controle mental muito grande
para encarar aquele cenário de desastre. Em alguns momentos, para percorrer um
trecho de dez metros, poderia levar de minutos a horas. Saímos de lá com o
aprendizado fundamental sobre trabalhar integrado com outras forças de
segurança. A característica deste evento coloca a Bahia num cenário de atuação
de um time especializado e capacitado para atuar em uma tragédia dessa
proporção”, revelou o major Ramon. 
Os
31 bombeiros militares que atuaram na tragédia de Brumadinho agora terão 10
dias de folga e todos serão submetidos a uma série de exames para identificar
possíveis contaminações. O cuidado é adotado pois o cenário da tragédia envolve
o rejeito de minérios que têm alto potencial de contaminação. Durante o evento
de recepção dos bombeiros, o comandante-geral ainda anunciou que alguns
equipamentos de uso individual também serão substituídos.