Carnaval contará com câmeras de reconhecimento facial e 26 mil policiais


A operação que vai garantir a segurança dos foliões na capital e no interior do
estado durante o Carnaval foi apresentada na manhã desta terça-feira (26) pela
Secretaria de Segurança Pública (SSP), no Hotel Fiesta, em Salvador. A Polícia
Militar, o Corpo de Bombeiros, a Polícia Civil e o Departamento de Polícia
Técnica (DPT) integram as ações que foram anunciadas na presença do governador
Rui Costa.

“São R$ 46 milhões aplicados na festa este ano, envolvendo infraestrutura,
remuneração de pessoal e toda a logística da operação, em Salvador e nas
cidades do interior que têm a tradição do Carnaval. O objetivo é repetir ou
superar os resultados obtidos na festa do ano passado, que registrou baixos
índices de violência nas ruas”, destacou Rui.

O governador também ressaltou o uso da tecnologia
na operação. “O aparato tecnológico tem crescido a cada ano no esquema de
segurança do Carnaval em Salvador. Câmeras foram instaladas em vários pontos da
cidade, inclusive no metrô e nos coletes de policiais. Além disso, drones
também serão utilizados. Tudo para termos acesso a detalhes do que está
acontecendo nos circuitos e no entorno deles”, explicou.
Tecnologia 

Este ano, na capital, os 42 Portais de Abordagem da SSP espalhados pelos
circuitos Dodô (Barra), Osmar (Campo Grande) e Batatinha (Pelourinho), contarão
com câmeras de reconhecimento facial, que devem facilitar o reconhecimento de
criminosos com mandados de prisão em aberto. 

Segundo o secretário de Segurança Pública, Maurício
Barbosa, a utilização da tecnologia dará apoio aos policiais. “Temos uma
estrutura gigantesca de segurança dentro do Carnaval, e a tecnologia ajuda
nesse trabalho, principalmente nos portais, que, desde 2016, vem contribuindo
de forma bastante significativa na redução da violência nos circuitos”,
afirmou. 
O aparato tecnológico conta ainda com
aproximadamente 430 câmeras, que serão usadas durante a operação. Dentre elas
estão uma câmera 360°, com capacidade de observar grandes espaços e aproximar a
imagem em 45 vezes, ambas com alta qualidade de imagem também em ambientes com
baixa luminosidade. A operação ainda vai contar com 14 drones para auxiliar o
monitoramento das ações no solo. 
Efetivo
Ao todo, 26 mil policiais militares, civis e
técnicos formam o efetivo que atuará em Salvador, nos três circuitos oficiais
da festa e nos bairros, além de outras 45 cidades do interior do estado onde há
festejos. As equipes estarão distribuídas nos locais das festas e coordenadas
através do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), onde cerca de 30
instituições estaduais, federais e municipais realizarão trabalho
integrado. 

Atendimento 
Os foliões contarão com 69 postos policiais para atendimento. Os circuitos das
festas terão ainda postos das Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher
(Deams); de Proteção à Pessoa (DPP); para casos de desaparecidos; e de
Atendimento às Vítimas de Racismo e Intolerância.
O Departamento de Polícia Técnica (DPT) estará pela primeira vez realizando o
trabalho direto dos circuitos do Carnaval, em uma operação que envolve 345
agentes. 

Serão realizados laudos de lesão corporal, perícia
e identificação de drogas, controle do tráfico de drogas e identificação civil
em meio à folia. Ao todo, serão cinco postos físicos.
Fotos: Manu Dias/GOVBA