Filha de prefeito na BA tem auxílio emergencial aprovado, faz dois saques e gestor alega ter doado dinheiro


Sem preencher aos requisitos para receber o auxílio emergencial do governo federal, a filha do prefeito de Maiquinique, cidade do sudoeste da Bahia, fez o cadastro e o saque de duas parcelas do benefício. O caso repercutiu negativamente na cidade e nas redes sociais, e o gestor, Jesuíno Porto (DEM), alegou que o dinheiro foi doado para famílias carentes do município.

Hellen Lira Porto, filha de Jesuíno, é estudante de Medicina em uma faculdade particular de São Paulo. Assim como o caso dela, o Tribunal de Contas da União (TCU) já identificou outros 904 semelhantes: pessoas com renda superior ao limite exigido pelos critérios do governo federal, que foram contempladas pelo benefício.
O prefeito se manifestou sobre o caso por meio de um áudio divulgado na internet. Na mensagem, Jesuíno Porto diz que a família não precisa do dinheiro e garante que a quantia sacada pela filha era entregue a ele e usada para fazer doações.
“Isso aí não é montagem, realmente é verdade. Hellen fez o cadastro emergencial, recebeu duas parcelas aí. Só que o que ninguém sabe é que, cada vez que ela recebe a parcela, ela me dá o dinheiro e eu doo para uma família carente”, disse o gestor.
No mesmo áudio, Jesuíno Porto conta como foram feitas as doações e afirma que, quando a terceira parcela do benefício fosse paga, faria uma publicação nas redes sociais para comprovar que estava doando o dinheiro.
“Inclusive, já tem duas pessoas, um que estava construindo um loteamento e eu doei R$ 600, e outro é um rapaz que tem um terreno mais em cima ainda, que estava na fazenda seca, chamei ele e dei os R$ 600 e disse: ‘A minha filha fez o cadastro, o dinheiro veio. Mas, graças a Deus, a gente não precisa dos R$ 600 e eu estou doando. Nesse momento, eu senti vontade de doar para você e você aqui é o felizardo’, peguei e dei para ele. Estava ele e o pai dele lá na roça. Agora eu vou chamar as pessoas que receberam e quem vai receber a terceira parcela também, e fazer a publicaçãozinha, dizendo se ele recebeu ou não o dinheiro”, disse Jesuíno no áudio.
O caso, no entanto, repercutiu negativamente nas redes sociais. Diante disso, o prefeito emitiu nota em que afirma ter tomado conhecimento da prática irregular da filha e diz ter agido de forma equivocada, garantindo, então, que devolveu o dinheiro do auxílio ao governo federal. Ainda por meio de nota, ele pediu desculpas à sociedade pelo ato irregular da filha. Veja nota na íntegra abaixo.
A reportagem da TV Bahia entrou em contato com o Ministério Público Federal, para saber se o órgão apura a situação, mas ainda não obteve resposta.
Confira nota da prefeitura na íntegra:
“O Prefeito de Maiquinique confirma que de fato a filha se cadastrou no Programa do Governo Federal, contudo o fez apenas para saber se teria ou não direito a receber, e não para usufruir de qualquer valor daquele benefício.
Informa ainda que ao saber que os valores foram liberados e sacados, reconhece que de forma equivocada doou as duas parcelas para pessoas carentes da cidade, e que após consultar o departamento jurídico foi informado que o correto seria fazer a devolução das parcelas recebidas. Sendo assim, mesmo tendo feito as referidas doações tratou de realizar a devolução dos valores sacados ao Governo Federal, conforme comprova a GRU e o demonstrativo de depósito.
Nesta oportunidade, o Prefeito de Maiquinique, reconhecendo que sua filha cometeu um ato irregular, tratou de regularizar a situação e por isso pede desculpas a toda a sociedade, bem como a Administração Pública”.
Fonte: G1 Bahia