Live promove bate-papo sobre a segurança dos alimentos em período de pandemia


Neste período de pandemia é fundamental ficarmos atentos às estratégias para manter a segurança dos nossos alimentos e proteger a nossa casa contra o novo coronavírus. A nutricionista e tecnóloga em alimentos e coordenadora do curso de Nutrição da UniFTC Juazeiro, Sibery dos Anjos, abordou o assunto na live “Segurança dos alimentos: Estratégias em Período de Pandemia” na última quinta-feira (28).

O bate-papo iniciou com a professora falando sobre a importância da higienização dos alimentos. “Segurança dos alimentos nada mais é do que o alimento seguro, e que não vai causar danos a integridade e saúde do consumidor”, conta Sibery. Ela ainda explica que para uma eficiente higienização, de acordo com a Organização Mundial da Saúde(OMS), as soluções desinfetantes capazes de combater o coronavírus devem ser a base de hipoclorito de sódio, água oxigenada, álcool 70%, amônia quaternária e compostos fenólicos. “Observar o rótulo do produto é muito importante para ver a concentração do cloro ativo, se aquela substância pode ou não ter contato com os alimentos. O mal uso destes componentes podem causar intoxicação”, explica a nutricionista.

A professora Sibery dos Anjos ainda ensinou que devemos fazer um planejamento para realizar as compras. “Em primeiro lugar devemos ressaltar que precisamos evitar sair de casa. Diversas formas de contaminação são contraídas nos supermercados, pois é um local onde transitam pessoas o tempo todo e constantemente tocam nas embalagens. Mas quando for necessário fazer compras, devemos adotar todas as medidas de segurança pré e pós contato com os alimentos”. Além disso, a professora indicou que o ideal é transportar as sacolas com os alimentos sempre no porta malas e não na parte interna do veículo.

E ao chegar em casa, o que fazer com nossos alimentos? Em primeiro lugar, as sacolas plásticas devem ser descartadas e as compras deixadas em um lugar específico para a higienização com água e sabão ou álcool 70%. Mas, por que é tão importante esse processo de limpeza? De acordo com Sibery, essa rotina deveria ser constante, independente da pandemia do coronavírus. “Com esse processo estaremos retirando poeiras, terra, fezes de insetos, etc, são as chamadas sujeiras invisíveis”, conta a professora.

Outro ponto importante abordado na live foi sobre a higienização dos ovos. Eles devem ou não ser limpos antes de armazenados? De acordo com a nutricionista, começamos pela bandeja dos ovos. “Aquele recipiente é altamente contaminado. Até chegar em nossa casa, ele esteve em muitos lugares acumulando resíduos diversos e a contaminação microbiana do que vem na casca do ovo. Por isso, ao chegar em casa, nada de colocar os ovos direto na geladeira, devemos descartar aquela bandeja e colocá-los em porta ovos com tampa”, explica a professora.

Em relação ao local em que os ovos devem ficar guardados, a nutricionista orienta que fiquem na geladeira e não fora, pois eles podem deteriorar mais rápido. Outra questão levantada foi sobre lavar ou não o ovo, já que durante a pandemia é necessária a higienização de todos os alimentos. “Não lavamos os ovos para guardá-los, apenas trocamos a bandeja por um recipiente limpo e que feche bem. Se eles forem lavados, a película protetora do alimento será retirada e

impurezas externas podem entrar dentro do ovo enquanto ele fica na geladeira. O ideal é lavá-lo com água corrente assim que for consumir ou utilizar em alguma preparação”, conta Sibery.

Para finalizar, a professora explicou sobre as medidas de segurança que devem ser adotadas ao receber comidas delivery. “Em primeiro lugar todos devem receber essa comida de máscara, tanto o cliente quanto o entregador, efetuar o pagamento online ou dar preferência ao uso de cartões. Assim que entrar em casa, descartar a embalagem, higienizar as mãos e a embalagem que veio o alimento e transferir a refeição para outro recipiente. Outra opção é, caso o alimento possa ser ingerido quente, colocá-lo no forno a 70 graus por pelo menos 5 minutos. Temperatura e tempo suficiente para matar o vírus que possa estar em contato com o alimento, segundo a OMS, que serão eliminados com o calor”, destacou a nutricionista.