Sr do Bonfim: Câmara reprova projeto do São João Virtual


Estrutura já estava sendo montada antes da Câmara analisar o projeto. MP, flagrou a ação e agiu imediatamente.

O Projeto para realizar o São João Virtual de Senhor do Bonfim, foi barrado ontem durante sessão na Câmara de Vereadores.

A prefeitura já tinha montado toda a estrutura para realizar a festa antes mesmo de passar pelo crivo dos Edis.

Após denúncias, o Ministério Público, fez visitas in loco no Centro Cultural, e com registros fotográficos flagrou a estrutura sendo montadas com todos os equipamentos sem antes passar por uma avaliação dos vereadores.

A posição do município, levou o MP a fazer uma recomendação em que pleiteava que o prefeito Carlos Brasileiro e a Secretária Municipal de Cultura, se abstivessem de realizar qualquer tipo de pagamentos a empresa responsável pela estrutura e artistas já previamente contratados sem nenhum critério.

A sessão foi movimentada no momento da votação do projeto 017/2020. O vereador Laércio Júnior, fez questão de ler a recomendação na íntegra do MP, e relatou que no momento mais crucial da Pandemia, e com números alarmantes no município, o prefeito queira fazer festa, e o pior, na total escuridão, com fortes indícios de direcionamentos e apadrinhamento.

Voto decisivo:

O projeto teve sua votação empatada em 6×6, com duas abstenções. Pelo regimento da Câmara, cabe ao presidente decidir em caso de empate.

Analisando o projeto, vendo a real situação preocupante dos casos da Covid 19 no município, Cleiton, sepultou a trama montada. Votou contra, placar 7×6, favorável para derrubar o projeto.

O resultado impôs piedosa derrota a Carlos Brasileiro, que autorizou montar toda uma estrutura, imaginando ele, que teria controle total dos votos.

Sem clareza no projeto, o papel do Ministério Público, através do promotor Dr Rui Sanches, foi essencial para por fim em mais uma tentativa de se passar “um rolo compressor” por cima da lei e dos bons princípios da moralidade.

Elizeu e Reinaldo se juntaram aos da oposição Laercio, Deto, Pebinha e Geri, chegando a 6 votos contrários e 6 votos da base favoráveis, Andreilto, Mimo, Carlos, Lúcia, Tavinho e Moge.
2 abstenções Ré e Jorginho.

Com o placar de 6 x 6, precisou do voto de minerva do Presidente que decidiu pela rejeição.

Fonte: blogdowalterley