O DEFINHAMENTO DO CROCHÊ- – CONFIRA A CRÔNICA DE MOACIR SARAIVA


Tudo na vida tem dois ou mais lados, não se pode fugir desse postulado bem antigo e moderno.

Os benefícios trazidos pelos aparelhos que nos permitem uma comunicação instantânea com o mundo estão pulando aos olhos de toda a humanidade. O celular tem mudado e muito a vida de seus usuários, você dispor do mundo em suas mãos é algo estonteante. Esse é o lado bom e muito bom, pois o ser humano, hoje, dispõe de informações que, em outras épocas, era um sacrifício danado para buscá-las, isso quando era possível, uma vez que para muitas o acesso era restrito a grupos pequenos, e eles as vendiam como queriam.

A despeito de trilhões de vantagens do celular, seu uso também tem outras trilhões de adversidades apontadas por especialistas e muitas dessas, não necessitam nem de estudos, pois aparecem escancaradamente.

Especialistas já fizeram um sem número de pesquisas e mostram que o uso excessivo provoca problemas na visão, na coluna e outros efeitos nocivos, constatações fruto de pesquisas de cientistas e não se ouvem vozes se contrapondo a tais estudos.

Ainda fruto de pesquisas, há dados revelando que o uso do celular, enquanto se conduz veículos, é a terceira maior causa de acidentes, portanto, vidas são ceifadas, gastos materiais são enormes e o SUS também entra aí para fazer reparos em corpos dilacerados ou com danos menores, tudo provocado pelo uso do celular.

Não vou me ater a aspetos escarafunchados por estudiosos, me volto apenas para o que vejo no dia a dia, nas minhas andanças pelos cantos e pelas voltas do mundo. Vejo em muitas situações profissionais que, ao invés de estarem atentos aos seus afazeres profissionais, ficam com excesso de vigilância nos seus aparelhos celulares, não tiram os olhos do bicho, os dedos em grandes movimentos no teclado e o resto é resto e pronto.

Outro dia, fui comprar uma peça de crochê e o preço estava um absurdo, comparado com o valor cobrado de outrora não tão longe. Indaguei à proprietária do estabelecimento o motivo dessa alta exorbitante do valor da peça. Ela foi muito clara e expôs a real situação do problema. Ela abriu a fala dizendo que a alta se devia ao celular. Antes de eu abrir a boca para novas perguntas, ela se antecipou e explicou tudo. Outrora, as senhoras ficavam em roda de conversa, nas portas das residências e enquanto falavam e muito, os dedos seguravam a agulha e meadas de fio ou de lã e iam construindo suas peças, no fim de um bate papo, havia avanço significativo na construção de suas criações de crochê. Hoje, as agulhas foram substituídas pelo celular, enquanto elas conversam, falam muito pouco, os dedos, os olhos e a atenção se voltam apenas para a tela e o teclado do celular. Por isso as senhoras artesãs de crochê estão desaparecendo e o preço das peças sobe, concluiu a proprietária.

MOACIR SARAIVA – 10.07.2021