Ex-vereador de Jaguarari, Bruno Sá vence a Covid-19 e deixa a UTI

Internado em uma UTI, no Hospital Neurocárdio, em Petrolina (PE), com 50% dos pulmões comprometidos, o ex-vereador de Jaguarari e empresário e profissional da área de odontologia, Dr. Bruno Sá, é mais um que venceu a Covid-19. Dr. Bruno, já deixou o hospital e se recupera bem após ficar seis dias em uma UTI. Com … Leia Mais


Prefeitura de Itaberaba fecha acordo com o Butantan para garantir CoronaVac

A Prefeitura de Itaberaba informou que realizou um acordo com o Instituto Butantan, para garantir vacina contra a Covid-19. A CoronaVac está sendo desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com a instituição. O anúncio do acordo foi feito pelo prefeito de Itaberaba, Ricardo Mascarenhas, durante uma coletiva de imprensa virtual, que foi transmitida pelas … Leia Mais


Bahia registra 2.980 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.980 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,6%) e 2.431 recuperados (+0,5%). Dos 505.918 casos confirmados desde o início da pandemia, 490.725 já são considerados recuperados e 5.860 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está … Leia Mais


Bahia ultrapassa 500 mil casos da Covid-19 em 10 meses de pandemia

Nesta quarta-feira (6), a Bahia ultrapassou a marca de meio milhão de pessoas infectadas pelo coronavírus (Covid-19) em dez meses da pandemia. Somente nas últimas 24 horas, foram registrados 3.038 casos da Covid-19. Dos 502.938 casos confirmados, 488.294 já são considerados recuperados, 5.340 encontram-se ativos e 9.304 tiveram óbito confirmado. A base de dados completa … Leia Mais



Bahia registra 3.077 novos casos da Covid-19 nas últimas 24 horas


Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 3.077 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,6%) e 2.701 recuperados (+0,6%). Dos 499.900 casos confirmados desde o início da pandemia, 485.976 já são considerados recuperados e 4.648 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,46%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Ibirataia (10.357,89), Muniz Ferreira (8.582,59), Conceição do Coité (8.471,45), Jucuruçu (8.152,53) e Pintadas (8.067,45).

boletim epidemiológico contabiliza ainda 888.816 casos descartados e 123.006 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta terça-feira (05).

Na Bahia, 37.044 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos
O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 30 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 9.276, representando uma letalidade de 1,86%. Dentre os óbitos, 56,46% ocorreram no sexo masculino e 43,54% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,80% corresponderam a parda, seguidos por branca com 19,02%, preta com 14,64%, amarela com 0,67%, indígena com 0,13% e não há informação em 10,75% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 70,78%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (73,61%).


Monte Santo: Médico acusa ex-prefeito de interromper atividades da atenção básica após perder eleição


O médico Ariston Filho, que trabalha nos povoados de Lagoa do Saco e Salgado, acusou o ex-prefeito de Monte Santo Vando de interromper as atividades da atenção básica no dia 16 de dezembro de 2020, em retaliação à derrota sofrida por ele nas urnas em novembro. Na ocasião, Silvania Matos, do PSB, foi eleita prefeita da cidade.

De acordo com Ariston, a Secretaria Municipal de Saúde teria determinado a suspensão das atividades no dia 15, mas postos de saúde funcionaram até dia 16. Ainda segundo o médico, nenhum funcionário recebeu o salário do mês. “Inclusive Lagoa do Saco funciona às segundas e quartas, eu cancelei Lagoa do Saco na quarta (16) e adiantei para a comunidade de Salgado, para que a mesma não ficasse desassistida”, disse ao BNnews.

Ariston fez vídeos que foram disseminados no WhatsApp e mostram que o posto de Lagoa do Saco não estava funcionando. “Dá para ver as cadeiras vazias e a ausência de pacientes”, completou.

BNews entrou em contato com a assessoria do ex-prefeito.  Em nota enviada para a reportagem, a ex-secretária municipal de Saúde, Antonieta Costa, negou a acusação de “retaliação política” após a derrota do ex-prefeito Vando nas urnas.

No texto, a ex-titular da pasta alega que, “a partir dos dias 16 e 18 de dezembro, as atividades das Unidades Básicas de Saúde (UBS) foram suspensas na zona rural e na sede da cidade, respectivamente, em virtude do recesso do final de ano. Durante esse período, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o hospital municipal e o hospital de campanha funcionaram normalmente para atender a população local”.

Ainda de acordo com a ex-secretária, “até o dia 31 de dezembro, o Governo Federal não havia repassado os valores referentes às despesas da atenção básica no município, impossibilitando o pagamento de parte dos servidores da saúde”. Segundo Costa, “a denúncia é infundada e não passa de uma difamação contra quem mais trabalhou pela saúde municipal”.

“O ex-prefeito Vando foi responsável pela reforma e ampliação das UBS, reconstrução do hospital municipal, viabilização da compra de respiradores, bem como pela entrega de ambulâncias e implantação do Serviço Móvel de Urgência (SAMU), sendo a saúde a principal marca do legado deixado para os munícipes. Atualmente, a saúde de Monte Santo é referência em toda a região”, concluiu. ( Fonte: Bnews)


Bahia registra 722 novos casos da Covid-19 nas últimas 24 horas


Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 722 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,1%) e 1.030 recuperados (+0,2%). Dos 496.008 casos confirmados desde o início da pandemia, 482.039 já são considerados recuperados, 4.751 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,48%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Ibirataia (10.344,83), Muniz Ferreira (8.447,86), Conceição do Coité (8.444,42), Jucuruçu (8.152,53), Pintadas (8.019,55).

boletim epidemiológico contabiliza ainda 886.162 casos descartados e 122.781 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas deste domingo (03).

Na Bahia, 36.794 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 31 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 9.218, representando uma letalidade de 1,86%. Dentre os óbitos, 56,49% ocorreram no sexo masculino e 43,51% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,76% corresponderam a parda, seguidos por branca com 19,00%, preta com 14,63%, amarela com 0,67%, indígena com 0,13% e não há informação em 10,80% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 70,79%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (73,59%).


Secretaria de saúde de Senhor do Bonfim foi entregue a nova gestão em situação de completo abandono


A primeira ação realizada pela nova administração municipal neste sábado (02) foi iniciar um grande mutirão de limpeza nas ruas da cidade. Porem a limpeza não ficou restrita apenas as vias públicas. Para a surpresa de todos ao chegarem à sede da Secretaria de Saúde, os novos servidores municipais se depararam com um local sujo e em situação de completo abandono.

A primeira vista era difícil acreditar que aquele local abrigava uma secretaria de saúde. Diversos produtos armazenados de forma incorreta, moveis deixados do lado de fora recebendo sol e chuva, muito lixo espalhado e até os veículos que estavam a serviço da secretaria completamente sucateados. Em uma das salas foram encontrados vários gatos e suas respectivas vasilhas de alimentação, o que significa que esses animais viviam ali.

Ao que parece a nova gestão terá muito trabalho para reorganizar toda estrutura administrativa do município. Mas pela forma que a antiga administração conduziu a transição, era de se esperar que o município fosse encontrado em situação precária. Agora resta a Laércio Junior e Elizeu Rios juntarem os cacos do que restou de Senhor do Bonfim e buscarem fazer uma boa administração.

Blog do Walterley


Atuação política da Anvisa e desastre na condução do Governo Federal atrasam vacinação no Brasil, diz Rui Costa


Em agenda na cidade de Catu nesta quarta-feira (30), o governador Rui Costa criticou a demora do Governo Federal para iniciar a vacinação contra o coronavírus e apontou a atuação política da Anvisa como fator de atraso para a imunização dos brasileiros. “O Brasil hoje, pelo desastre da condução do Governo Federal, é o segundo país do mundo em número de mortes, e nós corremos o risco de ser o último a começar a vacinação”. Rui também afirmou que, se preciso for, vai tomar medidas judiciais para que a Bahia adquira as vacinas necessárias.
Rui Costa avalia que, “se o governo federal atrapalhar menos, a gente vai vacinar parte da população no primeiro semestre, basicamente o povo da área da saúde, o povo da área da segurança e aqueles que que têm a sua saúde mais vulnerável, ou seja, os idosos e quem tem doença com potencial de complicar com o Covid”. Segundo ele, só no segundo semestre a vacina chega para a maior parte da população.
Rui Costa destacou que, na América do Sul, a maioria dos países já começou a vacinar sua população. “O Brasil está ficando para trás. É uma vergonha porque nós temos um governo federal incapaz de governar o País, que se sustenta na base da polêmica, na pregação da ignorância, da negação da ciência, e está levando o Brasil a um desastre não só do ponto de vista de saúde, mas do ponto de vista econômico e social”.
O governador destacou que a Anvisa era uma das agências sanitárias mais respeitadas do mundo. “Era até aqui. Infelizmente, o atual governo, que está destruindo muita coisa, está conseguindo destruir a imagem da Anvisa que levou muitas décadas para construir uma imagem de seriedade. Hoje, está sendo adotada uma postura ‘politiqueira’ que não condiz com a história e com a reputação que a Anvisa tem. Mas estamos atentos, monitorando diariamente e, dadas as condições, se necessário for, o Estado da Bahia vai à justiça para requerer a autorização para adquirir a vacina e imunizar a população”, acrescentou.
Baixos índices de mortalidade na Bahia

Rui destacou que a Bahia é o segundo entre os 27 estados brasileiros com menor taxa de mortalidade por Covid-19. “Tivemos dois ou três meses críticos, a partir de agosto começamos a reduzir o número de contaminados. Chegamos a ter, no pico, 70 mortes por dia, e caímos até o mês de outubro para 20 óbitos por dia. Infelizmente, a partir de novembro, começamos a ver a curva de contaminados e o número de óbitos subir novamente”.

 

……………………………………………………………………………..

Secom  – Secretaria de Comunicação Social – Governo da Bahia



Justiça atende pedido do Governo do Estado e suspende festas no Sul da Bahia


À pedido da Procuradoria Geral do Estado, a desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia Cinthya Maria Pina Resende suspendeu a eficácia da decisão do juiz plantonista da Comarca de Porto Seguro que autorizou da realização de eventos festivos de fim de ano na referida cidade.
“O perigo da demora de uma decisão judicial é latente, considerando o notório volume de eventos programados e as notícias veiculadas nos meios de comunicação nacional e na rede mundial de computadores, da circulação de pessoas e desembarque de passageiros ao Município de Porto Seguro, bem como, diante da vigência da norma Estadual retromencionada, o que poderá, a despeito das deliberações pelos entes federativos interessados, ensejar perigosa e catastrófica aceleração do processo contaminação pela COVID-19, impondo reflexos irreparáveis em toda a população regional e local”, pontou a magistrada.
Ainda de acordo com a desembargadora, a decisão contestada pela PGE, subjuga a decisão emanada do Tribunal de Justiça da Bahia, detentor da atribuição para conhecer e julgar demandas envolvendo municípios do Estado e o Estado da Bahia, na medida em que determina, por decisão judicial, o suprimento da autorização municipal para realização de eventos, bem como determina a comunicação acerca da necessidade de efetivo Policial Militar, para tornar viável a realização dos eventos pelos quais o Tribunal fundamentadamente deliberou pela proibição, em clara burla a usurpação de competência constitucional do TJBA, a quem compete apreciar tal matéria.

Para a Procuradoria Geral do Estado, a liberação de tais eventos pelo juiz plantonista da Comarca de Porto Seguro configura usurpação de competência do TJBA, “considerando que qualquer medida impositiva do cumprimento de um dever ao município de Porto Seguro só pode ser outorgada pelo TJBA, juiz natural nos termos da Constituição do Estado da Bahia para processar demandas entre o Estado da Bahia e seus Municípios”.

……………………………………………………………………………………….

Secom  – Secretaria de Comunicação Social – Governo da Bahia


Bahia registra 3.206 novos casos da Covid-19 nas últimas 24 horas


Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 3.206 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,7%) e 3.134 recuperados (+0,7%). Dos 487.691 casos confirmados desde o início da pandemia, 472.868 já são considerados recuperados, 5.751 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,59%) Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Ibirataia (10.272,99), Muniz Ferreira (8.407,44), Conceição do Coité (8.291,30), Pintadas (8.000,38), Jucuruçu (7.900,50).

boletim epidemiológico contabiliza ainda 879.989 casos descartados e 122.973 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta terça-feira (29).

Na Bahia, 36.346 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 31 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 9.072, representando uma letalidade de 1,86%. Dentre os óbitos, 56,58% ocorreram no sexo masculino e 43,42% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,84% corresponderam a parda, seguidos por branca com 18,86%, preta com 14,62%, amarela com 0,67%, indígena com 0,13% e não há informação em 10,88% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 70,89%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (73,52%).


Remanso e Senhor do Bonfim têm 100% de ocupação nas UTIs reservadas para Covid-19


Os hospitais São Pedro, em Remanso, e Municipal Dom Antônio Monteiro, em Senhor do Bonfim, ambos no norte do estado, não possuem mais vagas disponíveis nos leitos de terapia intensiva reservados para o tratamento de adultos com Covid-19. As duas unidades são as únicas em suas cidades com UTIs exclusivas para pacientes com a doença.

No Hospital São Pedro, metade dos 10 pacientes internados na UTI estão sob ventilação mecânica. Já no Hospital Municipal Dom Antônio Monteiro, sete dos 10 respiram com apoio de oxigênio.

De acordo com a divisão regional da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), quem precisar de terapia intensiva em Remanso e Senhor do Bonfim deverá ser encaminhado para as vagas disponíveis no Promatre de Juazeiro, no Hospital Regional de Juazeiro e no Hospital de Paulo Afonso.

A região norte do estado, como um todo, possui 75% de taxa de ocupação das UTIs para adultos. O número é igual ao do centro-leste baiano e melhor que os das regiões sudoeste (84%), extremo-sul (82%) e sul (82%).

Outras unidades pelo interior baiano também estão com 100% de taxa de ocupação, como o Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana; o Hospital São Vicente de Paulo, em Vitória da Conquista; o Vida Memorial, em Ilhéus; e o Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna. Entretanto, todos esses municípios possuem leitos disponíveis em outros hospitais. Fonte: Bahia Noticias/ Montagem foto Cleber Vieira News


Ex-feirante na Bahia, pesquisador que estuda novas vacinas da Covid foi aluno do Campus da Uneb em Sr. do Bonfim


Aos sete, Guga já trabalhava na roça da família, plantando feijão e milho e, depois, vendendo os alimentos na feira em Tucano, interior da Bahia. Na adolescência, teve a própria banca onde vendia carne.

Repetiu três vezes a oitava série e, aos 18, decidiu que teria destino diferente dos irmãos, que abandonaram os estudos no ensino fundamental.

Hoje, o imunologista Gustavo Cabral de Miranda, 38, com pós-doutorado na Universidade de Oxford, integra o time de pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, que, em conjunto com o InCor (Instituto do Coração), busca desenvolver uma vacina contra o coronavírus a partir de partículas semelhantes a vírus, as VLPs (virus-like particles).

Vinte anos separam o momento da virada na vida do doutor Miranda. “Sempre fui um menino esperto para negócios. Vendia geladinho, comprava galinhas, vendia, comprava um porco, depois já tinha um bezerro”, lembra.

Após sair de casa aos 15, foi trabalhar como ajudante em um açougue e passou a morar em Euclides da Cunha (BA). Um ano depois já tinha sua banca de carne e, em seguida, comprou a segunda banca, em Monte Santo (BA).

“Ia para a escola à noite, mas não conseguia concluir o ano letivo. Acordava às 3h para ir para o açougue. Trabalhava até as 15h, voltava para casa e tinha que fazer minha comida”.

Após repetir três vezes a oitava série, veio a frustração de não ver perspectiva na vida da forma como estava. “Desde criança, eu queria ser ‘gente grande’. Olhava para os ‘estudados’ e via que eles tinham uma vida boa, a vida que eu queria para mim. Decidi que ia estudar também”.

Vendeu as bancas de carne e a moto e voltou para a cidade natal, onde, com a ajuda da família, pode se dedicar somente aos estudos.

Aos 21, no fim do ensino médio, matriculou-se numa escola privada para se preparar para o vestibular. Prestou e passou em ciências biológicas na Universidade do Estado da Bahia, no campus de Senhor do Bonfim.

“Tinha residência universitária e foi para lá que eu fui. Comecei a trabalhar com saúde pública e meio ambiente, doenças parasitárias e comunidades quilombolas”.

Foi o primeiro da família a se graduar. Em seguida, fez mestrado em imunologia na Universidade Federal da Bahia, com foco em doenças parasitárias e nanotecnologia. O doutorado foi na USP, em São Paulo, em imunologia. Tinha bolsa de pesquisa e morava na residência universitária.

“Eu via o pessoal fazendo o doutorado sanduíche, indo para outros países e decidi que seguiria o mesmo caminho. Mas meu inglês era muito mediano. Fui então para o instituto de engenharia e nanotecnologia do Porto, em Portugal”. Nesse período, fez um curso de imersão de inglês na Irlanda. “Foi um mês que pareceu um ano”.

Ao terminar o doutorado na USP, foi aceito em um pós doutorado na Universidade de Oxford, Reino Unido. Ficou lá três anos e meio trabalhando com vacinas no Instituto Jenner, referência mundial e onde foi desenvolvida a “vacina de Oxford”, licenciada pela farmacêutica AstraZeneca.

Seu foco de pesquisa foram as VLPs. Essas partículas possuem características semelhantes às de um vírus e, por isso, são facilmente reconhecidas pelo sistema imunológico.

Porém, não têm material genético do agente infeccioso, o que impossibilita replicação. Por isso, são seguras para o desenvolvimento de vacinas.

“Com essa tecnologia, trabalhei com vacinas com VLPs aplicadas para malária, para o vírus da zika. Fui para a Suíça e continuei trabalhando com essa tecnologia. Tinha um ótimo salário, uma vida bacana, mas, pessoalmente, estava mal. Então, voltei ao Brasil”.

No final do ano passado, Miranda teve seu projeto sobre o uso das VLPs aplicadas em vacinas para o vírus da zika e da chicungunya aprovado pela Fapesp. Em março deste ano, com a pandemia de coronavírus, mudou o alvo para o agente infeccioso que já matou quase 200 mil no Brasil.

“Desde então, não parei nenhum dia. Sinto-me à vontade para criar, para produzir”.

Embora a tecnologia das VLPs ainda não esteja sendo aplicada em nenhuma vacina contra o coronavírus em estágio avançado, o pesquisador vê boas possibilidades para o futuro. “É bem promissora, mas não para agora”.

Da bancada do laboratório, Miranda se entusiasma com a resposta rápida que a ciência deu para o desenvolvimento de vacinas contra o coronavírus, mas, ao mesmo tempo, teme a pressão política em torno da imunização.

“Temos que ter muita cautela nesse momento. Se a gente, por pressão política, tirar a autonomia de instituições como a Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária], será um prejuízo gigantesco”.

Segundo ele, embora qualquer vacina aprovada seja segura e eficiente, é preciso cuidado ao levantar bandeiras para o uso em massa de vacinas apenas com resultados preliminares de estudos. “A fase 3 é muito importante, envolve milhares de pacientes”.

Miranda diz que seu temor é que, como o uso emergencial poderá imunizar bilhões de pessoas, se ocorrer algum problema de saúde pública envolvendo alguma das vacinas, será uma arma utilizada por movimentos antivacinas.

“Se perdermos a confiabilidade na produção de qualquer vacina, será um prejuízo histórico muito grande”.

Em 2021, além da pesquisa, Miranda lecionará no doutorado do departamento de biotecnologia da USP uma disciplina sobre o desenvolvimento de vacinas e de diagnóstico, usando nanotecnologia.

Sua história de vida serviu de inspiração para o irmão mais novo, Willian, 32. Seguindo os passos do pesquisador, ele fez graduação em geografia, mestrado e doutorado em geografia física na USA, e um “sanduíche” na Universidade Columbia (EUA).

“Ele fez uma baita carreira acadêmica. É o meu segundo maior orgulho. O primeiro é painho [Washington, 68] e mainha [Maria das Graças, 63]. Não vejo a hora de capinar com painho, só nós dois na roça”.

FONTE: Claudia Collucci – Folhapress