Cooperativismo de crédito é opção promissora para micro e pequenos empreendedores no Brasil


As micro e pequenas empresas (MPE) representam, atualmente, o setor com maior crescimento no empreendedorismo brasileiro. De acordo com levantamento realizado pelo Sebrae com dados do Ministério da Economia nos nove primeiros meses de 2021, as MPEs criaram 1,2 milhão de postos de trabalho a mais que as médias e grandes empresas.

O crescimento também é constante quando se considera a evolução anual da presença de MPEs no Brasil. Conforme o Ministério da Economia, no primeiro quadrimestre deste ano foram criadas 1,3 milhão de novas empresas, um crescimento de 17,3% em relação ao mesmo período de 2020. No total, são mais de 17 milhões de MPEs atualmente em atividade no país.

Apesar dos resultados, as condições de abertura e manutenção ainda são desafiadoras. Um levantamento realizado pelo IBGE revelou que o tempo de vida médio das MPEs no Brasil não passa de cinco anos. Entendendo essa e outras dificuldades, no Nordeste, o Sicredi dispõe de atendimento personalizado para os micro e pequenos empreendedores.

“A maior dificuldade das MPEs é com relação às garantias a serem oferecidas, mas temos um trabalho específico voltado para esse público, visando apoiar nossos associados e facilitar o acesso à linhas de crédito para financiar as despesas do empreendimento”, afirma Marcos Barbosa, consultor de Negócios e Desenvolvimento do Sicredi Norte/Nordeste.

Neste cenário, o cooperativismo de crédito tem se mostrado uma solução viável e rentável para os micro e pequenos empreendedores. Uma das ferramentas criadas durante a pandemia para auxiliar esse público é o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). “O Pronampe, por ser uma linha de crédito garantida parcialmente pelo FGO (Fundo de Garantia de Operações), administrado com recursos aportados pelo Governo Federal, veio suprir esta deficiência relacionada às garantias, permitindo a essas empresas captarem recursos para capital de giro, além de outras finalidades a serem utilizadas em suas atividades”, explica Marcos Barbosa, consultor de Negócios e Desenvolvimento do Sicredi Norte/Nordeste.

Na região Norte/Nordeste, o Sicredi atendeu a 2.837 empresas, liberando um volume de R$ 205,5 milhões. No Vale do São Francisco um total de 302 empresas foram beneficiadas com o programa por meio do Sicredi, uma das cooperativas que oferecem a linha de crédito no Brasil. Com recursos do programa, a cooperativa liberou mais de R$ 16 milhões milhões em micro e pequenas empresas no Vale.

“Além da linha Pronampe, o Sicredi oferece diversas outras linhas de crédito para as MPEs, bem como para Capital de Giro, Máquinas e Equipamentos, Investimentos, entre outros, tanto com recursos próprios, como com recursos repassados pelo BNDES, dentro das linhas oferecidas por aquela Instituição Financeira”, conclui Marcos. *Clas Comunicação e Marketing*