Sudesb lança edital de R$500 mil para apoio a eventos de capoeira

Comemorado em 3 de agosto, o Dia Nacional do Capoeirista tem homenagem antecipada pela Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia, autarquia vinculada à Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre). O Diário Oficial do Estado deste sábado, 31, traz publicada a Portaria 76 que torna público o Edital 02/2021, destinando R$500 mil para … Leia Mais


Lançamento do site Podcast Calumbi acontece neste sábado (31)

Com objetivo de organizar ainda mais as informações históricas e culturais sobre o sertão baiano, o Podcast Calumbi lança seu site, que reúne todos os episódios do Podcast Calumbi para download, em formato de áudio e texto, além de fotografias, informações sobre a história do projeto e a equipe que realiza o programa. O lançamento … Leia Mais


O DEFINHAMENTO DO CROCHÊ- – CONFIRA A CRÔNICA DE MOACIR SARAIVA

Tudo na vida tem dois ou mais lados, não se pode fugir desse postulado bem antigo e moderno. Os benefícios trazidos pelos aparelhos que nos permitem uma comunicação instantânea com o mundo estão pulando aos olhos de toda a humanidade. O celular tem mudado e muito a vida de seus usuários, você dispor do mundo … Leia Mais


Secretaria de Cultura da Bahia prorroga validade dos Editais Setoriais 2019

Em virtude da pandemia da Covid-19, que impactou severamente as atividades do setor cultural, a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) prorrogou a validade dos Editais Setoriais 2019 até 31 de dezembro de 2021. A ampliação assegura que os projetos habilitados na análise de mérito dos certames assinarão o Termo de Acordo e … Leia Mais



Senhor do Bonfim: Prefeito Laércio Junior prestigia festejo de Santo Antônio no distrito de Igara


Seguindo todos os protocolos de saúde, o prefeito de Senhor do Bonfim Laércio Junior esteve neste domingo (13), no distrito de Igara, onde prestigiou da programação religiosa em celebração a Santo Antônio, padroeiro da localidade. Acompanhado dos filhos, do pai o ex-vereador Laércio Muniz, da primeira dama e secretária de Assistência Social Taciane Granja, dos secretários de Educação – Lourinalva Correia e Cultura – Jailson Oliveira e do deputado estadual Niltinho participou da Missa Solene em louvor a Santo Antônio de Igara.

Em seguida participou da procissão que em virtude da pandemia do novo coronavírus foi realizada pelos fiei dentro de veículos, percorrendo diversas ruas acompanhando a imagem de Santo Antônio, até a Praça Cândido Félix, onde a prefeitura de Senhor do Bonfim em parceria com o vereador Helson de Carvalho entregaram a comunidade uma nova imagem do santo padroeiro inaugurada na praça principal.

“Hoje fiquei impressionado com a devoção dos moradores do distrito de Igara. Vi que maioria das casas, seus moradores exibiam a imagem de Santo Antônio demonstrando sua fé. Gostaria de parabenizar o Padre Robson e a Igreja Católica, que festa linda! Gostaria de dizer que hoje não estamos criando devoção a nenhuma imagem, estamos reafirmando que o povo de Igara é um povo de fé. Que todos que estão aqui hoje nesta praça serão abençoados e que por aqui passar também serão abençoados”, falou o prefeito Laércio junior.

Estiveram presentes ao evento religioso: os vereadores Idailton Galeguinho (Presidente da Câmara), Babão e Socorro do Pelé.

ASCOM – PMSB – Governo “O Novo Futuro” @ Senhor do Bonfim


Paulo Soares lança novo álbum “Replantio”


Esse novo trabalho se trata de um retorno às raízes do piauiense de São Raimundo Nonato, que fez da Bahia sua morada nos últimos 20 anos e desde 2005 reside em Juazeiro, atuando desde 2007 na cena cultural do território do Sertão do São Francisco.

Entre 2000 e 2005, Paulo Soares integrou o grupo “Solo Pedregoso” (dois EPs lançados) e atuou na cena alternativa de Salvador. Em solo Juazeirense, criou o projeto “Paulo Soares e a Terceira Cidade”, com o qual participou de eventos e festivais no Vale do São Francisco e em outras cidades do Nordeste.

O novo álbum, intitulado “Replantio”, conta com a melodia do violão como carro-chefe da obra e elementos da rítmica afro-brasileira, no viés do interior nordestino.

Bel da Bonita é um convidado especial na tessitura do disco. Experimentado percursionista, Bel já trabalhou com diversos nomes da música brasileira, e traz na sua musicalidade uma forte e genuína identidade territorial que passeia pelos interiores do Nordeste.

Revisitando essas raízes, a obra percorre ritmos como coco, baião, samba e maracatu e tem 8 faixas, são elas “O Fôge”, “Caatinga”, “Bendito”, “Gavião”, “Baixão das Andorinhas”, “Vento da Saudade”, “Equilibrista Malabares” e “Baião Encantado”.

O álbum conta com musicistas da região, como China (Sax e Flauta), Éverton Machado (Trombone), Júlio César (Trompete), Victoria Duarte (Violino), Pablo Wesley (Tuba) e Álvin Soares (Baixo), que divide palco com seu pai desde 2017, no projeto Paulo Soares e a Terceira Cidade, é baixista na Trupe Poligodélica e compartilha a produção musical com Paulo e Bel da Bonita.
Replantio está disponível nas plataformas digitais através do link: https://tratore.ffm.to/replantio

Ficha técnica:
Gravação: Álvin Soares (Casa Azul 81 Studio)
Mixagem: Álvin Soares (Casa Azul 81 Studio)
Masterização: Iago Guimarães (Casinha Lab)
Produção executiva: Rodrigo “Pezão”
Assessoria de comunicação e mídias sociais: Ananda Fonseca
Fotos: Iasmin Monteiro

Este projeto é realizado por meio do Edital Usinas Culturais e teve apoio financeiro da Secretaria de Cultura, Turismo e Esporte, da Prefeitura de Juazeiro; da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal, por meio da Lei Aldir Blanc. Clas Comunicação e Marketing


Podcast Calumbi lança novo episódio e realiza live em comemoração ao aniversário de Senhor do Bonfim


No dia 28 de maio, Senhor do Bonfim comemora 136 anos de emancipação política. Para comemorar essa data, o Podcast Calumbi apresenta duas novidades. Nesta terça-feira (25), o programa lança em todas as plataformas de áudio, o episódio “Desejos para Bonfim”, que faz uma reflexão sobre o presente e projeta coisas boas para o futuro da nossa cidade. Em parceria com o projeto Minha Cidade Senhor do Bonfim, o Podcast realiza também uma live comemorativa, agendada para sábado (29), às 15h, no Instagram.

“Desejos para Bonfim” será o 21º episódio lançado pelo Podcast Calumbi. Mas se nos episódios anteriores, o objetivo foi resgatar as origens do município, dessa vez a intenção é outra. “Agora buscamos fazer uma projeção, olhar para o presente e idealizar coisas boas para o futuro, apresentando como a gente espera que Bonfim se fortaleça a partir daqui”, conta a idealizadora e apresentadora do podcast, Adriana Santana.

O episódio reúne a expressão do desejo de bonfinenses conectados à história, cultura e desenvolvimento desse lugar e do seu povo. Assim, o Podcast Calumbi conversou com personalidades ligadas a diversas áreas, tais como: Educação (Maria Glória da Paz); Meio-ambiente (Keiliane Oliveira); Povos do Campo (Norma Cleuza); Terreiros (Rebert Guimarães); Igualdade de Gênero (Denise de Almeida); Juventude (Elisa Raquel); Artes (Geninho Talma); e Turismo (Igo Matos).

Por sua vez, a live de comemoração ao aniversário de Senhor do Bonfim tem como objetivo ouvir dois entusiastas da cultura bonfinense a respeito dos seus trabalhos em desenvolvimento: Adriana Santana (Podcast Calumbi) e Alex Barbosa (Minha Cidade Senhor do Bonfim). Em um bate-papo descontraído, os dois criadores de conteúdo irão apresentar ao público o que os motivou a lançar projetos inovadores, com linguagem atual e de fácil acesso, voltados à preservação da história regional, que valorizam a cultura e contribuem com o processo de educação dos municípios. Os dois projetos têm ganhado repercussão e conquistado não apenas o público bonfinense, mas de todo território baiano.

Alex conta como surgiu a ideia dessa live. “Achei que seria interessante dividirmos nossas experiências, aprendizados e dificuldades que encontramos ao realizar esse trabalho, bem como vislumbrar ações futuras, pois o processo de valorização de nossa história é algo que tem que ser construído de forma coletiva”.

O episódio “Desejos para Bonfim” estará disponível a partir de terça-feira (25) nas diversas plataformas de áudio, como: Youtube, Spotify, Deezer, Amazon Music, Pocket Casts e Google Podcasts. E a live “Aniversário de Senhor do Bonfim” será transmitida no sábado (29), às 15h, através dos perfis no Instagram @podcastcalumbi e @minhacidade_bonfim.

Lorena Simas

Assessora de Comunicação do Podcast Calumbi


Prefeitura de Senhor do Bonfim iniciou Censo Cultural do Município


A prefeitura de Senhor do Bonfim, através da Secretaria de Cultura estará realizando a partir desta segunda-feira (19), até o dia 30 de abril. O Censo Cultural, que tem como objetivo realizar a atualização de pessoal e espaços, e localização dos respectivos. O censo acontecerá de duas maneiras concomitantes, sendo estes: censo dos/as trabalhadores/as individuais da cultura, bem como os espaços e coletivos culturais.

Esse censo espera-se mostrar o que é produzido em arte e cultura, os equipamentos culturais, o patrimônio cultural, a produção, práticas e manifestações com o objetivo de organizar politicas públicas locais na área da cultura. É importante salientar, que o município estará desenvolvendo este censo de maneira híbrida, ou seja, ao tempo que estará disponibilizando o link para que seja realizado pela pessoa ou espaço, também será realizado à busca ativa desses espaços e pessoas.

Fazendo uma radiografia ampla do que é produzido em arte e cultura, os equipamentos culturais, o patrimônio cultural, a produção, práticas e manifestações com o objetivo de organizar politicas públicas locais na área da cultura. Os artistas que sentirem dificuldade no cadastramento poderão se dirigir até a sede da Secretaria de Cultura, localizada na antiga estação, onde será disponibilizado um servidor para auxilia-lo.

Abaixo os links para cadastro dos artistas e espaços culturais:
Artistas: https://forms.gle/BeHn2ofwbwyzQ8EZ9

Espaços culturais grupos, coletivos e entidades culturais: https://forms.gle/dqKbhtp44tTHETLQ6

ASCOM – PMSB – Governo “O Novo Futuro”


Podcast Calumbi lança último episódio dedicado à Música do Sertão nesta terça-feira (13)


Saudosismo, alegria, inquietação e admiração. Essas são algumas das emoções que invadiram os ouvintes do Podcast Calumbi, que na próxima terça-feira (13) encerra a terceira temporada que tem como tema “A Música do Sertão”. O último episódio, intitulado “A Música Autoral Contemporânea”, apresenta os novos talentos do sertão, compositores/as e cantores/as que movimentam a cena musical da região.

O episódio dará destaque a nomes como Emília Xisto, BMU, Os Cabras MC’s, Samantha Jones, Felipe Wander, Desatinados, Tenison Santana e Madu Campelo, artistas que apostam em gêneros musicais diversos: MPB, Sertanejo, Trap, Rap, Rock, Pop, Arrocha, entre outros. Ao apresentar essa multiplicidade, o programa demonstra que a música do sertão não se resume ao forró e baião, ela é composta por uma diversidade de ritmos, estilos e ideias.

O Podcast Calumbi é um programa de rádio on-line lançado em fevereiro de 2021 com o objetivo de apresentar informações sobre a história e a cultura do sertão baiano. Ao longo dos últimos meses, o programa vem envolvendo o público e despertando o sentimento de pertencimento por meio de episódios que destacaram “As Origens de Bonfim” (1ª temporada), “O Piemonte Norte do Itapicuru” (2ª temporada) e “A Música do Sertão” (3ª temporada). As duas últimas temporadas foram financiadas pela Lei Aldir Blanc Bahia, através da Secretaria de Cultura, Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) e Fundação Cultural Estado da Bahia (Funceb).

Foram 18 episódios que reuniram histórias “perdidas” nas memórias das pessoas, a cultura pulsante da região e diversas curiosidades que fizeram o público se orgulhar ainda mais da sua origem e perceber a importância do registro histórico regional. “Cobrimos uma lacuna existente na história do Piemonte Norte do Itapicuru”, destaca a produtora cultural e idealizadora do projeto, Adriana Santana.

Animada com o resultado do Podcast Calumbi, Adriana pontua: “Sinto que fizemos um mergulho profundo nas histórias do nosso território, e isso é transformador para a equipe e para o público que acompanhou. A sensação é de dever cumprido”.

Mesmo com o sentimento de dever cumprido, quando questionada se sentirá saudades da produção do Podcast Calumbi, Adriana não hesita em afirmar que não deverá sentir saudades do projeto, justamente porque pretende continuá-lo. “Esse momento é um ‘respiro’, uma pausa necessária para refletirmos sobre como dar continuidade e como buscar novos financiamentos para este trabalho”, afirma a idealizadora do Podcast.

Para que o público também não tenha tempo de sentir saudades desta produção, a equipe do Podcast Calumbi já está preparando episódios bônus. O primeiro já tem data marcada: será lançado no dia 27 de abril (terça-feira). O episódio trará um compilado de oito cordéis elaborados por artistas do Piemonte Norte do Itapicuru: Jotacê Freitas, Anastácia Rasta, Benedito Oliveira, Ailton Ribeiro, Maicon Dias, Lih Maria e Gueu Schade.

Mesmo com o encerramento das três temporadas do Podcast Calumbi, os programas continuarão disponíveis para o público em diversas plataformas de áudio, como: Youtube, Spotify, Deezer, Amazon Music, Pocket Casts e Google Podcasts.

Lorena Simas
Assessora de Comunicação do Podcast Calumbi


O APOGEU DAS ILUSÕES – CRÔNICA DO PROFESSOR VALTER SILVA


Março de 2021.

O APOGEU DAS ILUSÕES

Ainda que a civilização humana tenha alcançado um alto nível de valor no que diz respeito à tecnologia de ponta, às conquistas de conhecimento e aos grandes desafios da inteligência, a presente sociedade vem lutando, principalmente nas duas últimas décadas, a fim de superar suas preocupações a respeito da solidão, dos sofrimentos em geral e, sobretudo, da doença do existir.

Diminuídas as distâncias físicas em virtude do fantástico recurso das comunicações virtuais e das viagens aéreas, hoje, mais acessíveis a todos, a terra se converteu na tão sonhada aldeia global, facilitando, desse modo, os relacionamentos e o intercâmbio de comportamentos entre diferentes povos, cidades e países.

Esse “boom” da informação, que poderia ser considerado como um inegável avanço dos meios de comunicação e da diminuição nas fronteiras no mundo, acabou, na verdade, distanciando as pessoas do contato verdadeiro; dando a nítida impressão de que o homem orgânico vai sendo, cada vez mais, substituído por uma forma de existir essencialmente mecanizada.

São corriqueiros os casos que exemplificam a insensibilidade em que se aprofunda o rol das relações humanas, distanciando paulatinamente as pessoas reais e onde, enfim, o lado emocional é relegado a um segundo plano.

Os adultos, neste contexto, parecem não ter mais consciência dos seus atos. Sem quase nenhuma capacidade intuitiva, todos, de um modo geral, comunicam-se pessimamente. As pessoas nem ao menos conseguem sorrir. O conflito é comum e expresso na pobreza e na doença; sendo normal vivermos de cara amarrada. Paradoxalmente, muitos que vivem conectados às redes sociais estão praticamente isolados do mundo. O amor, a capacidade de se colocar no lugar do outro, o desprendimento, e a tolerância consigo e com o próximo são sentimentos não mais estimulados no presente.

As escolas e as universidades estão ainda muito longe de suprir as demandas de um público novo com ideias diferentes daquelas que preponderavam nas últimas décadas embasadas em um paradigma do certo ou errado, onde se acumulavam informações, às vezes inúteis, como decorar ou repetir assuntos diversos, mas que não despertavam as habilidades mentais, emocionais e comportamentais nas crianças e nos jovens.

Hoje, em plena época do ápice da interconectividade, presenciamos crianças, jovens e adultos e até mesmo idosos capazes de tudo descobrir, definir ou resolver através de seus smartphones e de outros apetrechos.

Um menino de dez anos, por exemplo, detém mais informações do que um homem maduro e culto, principalmente nas dúvidas sobre a informática. Esse jovem, contudo, jamais será sábio através da inflação de conhecimento jogados em sua mente, pois, o excesso de conhecimento não o levará a lugar nenhum a não ser ao esgotamento cerebral, uma vez que o primor do conhecer está justamente na seleção das ideias coletadas.

A humanidade enfrenta um dilema. De um lado o progresso digital, científico e tecnológico, do qual são deglutidas informações vindas de todos os lados sem que se faça a mínima reflexão e também notícias inúteis que além de não trazer nada de bom, ainda saturam as já apavoradas ou excitadas mentes de seus usuários.

De outro lado, as drogas, a exclusão social, a violência, o ódio e, especificamente, a cobrança por resultados imediatos trazem a tristeza, o estresse, o esgotamento e o desânimo como marcas registradas de um tempo regido pelo exclusivismo das ideias, onde, em suma, pouquíssimos são verdadeiramente ouvidos; e quem não aparenta ou não ostenta não presta.

A luta pelo usufruto de comodidades levou os seres humanos pós modernos ao tormento egoísta do abuso do poder, da indiferença pelos sofrimentos existentes ao redor e do desrespeito aos deveres que a vida impõe a todos os seus membros.

Mergulhados em realizações audaciosas que multiplicam o luxo exagerado e até inimaginável, muitos passaram a adotar as extravagâncias” copiadas” dos falsos poderosos em uma ânsia de domínio na política ou na sociedade que, infelizmente, facultam as condutas insanas e desonestas que sempre em expressivo volume empurram as massas desventuradas para a forma de miséria mais absoluta; ou seja, a miséria moral, onde a sociedade atrela seu destino a uma organização baseada na acumulação ilimitada.

Esse tem sido o cínico cenário das zombarias e das aparentes glórias da cultura e da civilização contemporânea, no qual os índices de morte pela fome, pelo abandono de crianças e de idosos e por tantas outras doenças foram sempre ignorados, mas que, agora, no auge da pandemia, aterrorizam simultaneamente toda a humanidade.

Diante, enfim, das excessivas exigências de liberdade no convívio social, cada vez mais libertino, talvez, a pandemia tenha vindo com o intuito de responder para onde segue a sociedade nessa volúpia massificadora e desordenada em sua incessante busca pela felicidade como realidade total da vida, ignorando que o sofrimento anda sempre de mãos dadas com a existência humana.

Tragédias, portanto, sacodem o planeta inteiro, demonstrando toda a fragilidade do ser humano que do pedestal de suas efêmeras e pueris ilusões assiste,hoje, à destruição causada pelo devastador e fatal vírus da Covid 19, evidenciando , ao mesmo tempo, a urgência de amor e de solidariedade entre as criaturas para a salvação da espécie humana diante do iminente caos.

VALTER SILVA é professor e poeta.


Produção musical do sertão é tema da terceira temporada do Podcast Calumbi


Diferentes sons, ritmos, melodias e harmonias fazem parte da produção musical do sertão, tema da terceira temporada do Podcast Calumbi. Intitulada “A Música do Sertão”, a nova temporada do programa reúne músicos, pesquisadores e cordelistas, memória e contemporaneidade. Os episódios serão veiculados a partir do dia 06 de março, sempre aos sábados, em diversas plataformas de streaming, tais como: Spotify, Deezer, Amazon Music, Pocket Casts, Google Podcasts e Youtube.

Após apresentar as origens da cidade de Senhor do Bonfim, localizada no norte da Bahia (primeira temporada); e a história dos municípios que compõem o Território Piemonte Norte do Itapicuru (segunda temporada); o Podcast Calumbi propõe agora fazer uma ponte entre os músicos locais e os consumidores em potencial. Para isso, contará a história por trás da produção musical do sertão baiano, região que, apesar de representar 70% do território do estado e 48% da sua população, ainda se vê pouco representada nas diferentes mídias.

Com seis episódios, a terceira temporada apresentará manifestações populares, grupos e compositores que movimentam a música e fortalecem a cultura da região. Os episódios abordarão os seguintes temas: As Calumbis (nome pelo qual são chamadas as bandas de pífanos na região); O Samba de Lata de Tijuaçu; Os Sanfoneiros; Grandes Compositores; As Filarmônicas; e A Música Autoral Contemporânea.

A ideia de abordar a música do sertão surgiu após a realização de uma pesquisa de mestrado feita em 2019 pela idealizadora e produtora cultural do projeto, Adriana Santana, junto ao Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade (Póscultura/UFBA). O estudo voltado ao consumo cultural dos jovens de Senhor do Bonfim identificou que 91% dos participantes da pesquisa utilizavam aparelhos eletrônicos para ouvir música.

A produtora cultural expõe que a partir desse dado, surgiram algumas reflexões “Esses jovens consomem música produzida localmente? E, se não o fazem, isso se justifica por ‘gosto pessoal’ ou se deve à falta de oferta nas rádios e nos tocadores de streaming? Sabemos informações sobre os artistas da região e onde encontrar sua música?”.

Assim, a partir dessas indagações, a terceira temporada do Podcast Calumbi nasce para apresentar os diversos ritmos e melodias produzidos na cena musical do sertão baiano, aproximando os jovens da cultura regional.

“O Podcast Calumbi pretende também expandir a percepção do público e da crítica a respeito das nuances que assumem a música produzida no sertão da Bahia, não para negar ou reduzir a importância de suas características mais difundidas (como o forró-pé-serra), mas para apresentar também outras autorias e arranjos”, destaca Adriana.

A terceira temporada do Podcast Calumbi tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Lorena Simas
Assessora de Comunicação do Podcast Calumbi


Segunda temporada do Podcast Calumbi estreia nesta terça-feira (16)


Depois da temporada de estreia, que apresentou as origens de Senhor do Bonfim e suas características mais marcantes, o Podcast Calumbi chega à sua segunda temporada. Intitulada “O Piemonte Norte do Itapicuru”, a nova temporada conta com oito episódios e será veiculada a partir do dia 16 de fevereiro, com episódios novos lançados sempre às terças-feiras. Os episódios abordam a história dos municípios que, juntos a Senhor do Bonfim, compõem a região — Campo Formoso, Jaguarari, Pindobaçu, Caldeirão Grande, Antônio Gonçalves, Filadélfia, Ponto Novo e Andorinha.

A segunda temporada do Podcast Calumbi tem como objetivo registrar e preservar as culturas sertanejas que compõem o Território Piemonte Norte do Itapicuru, além de expandir a percepção dos ouvintes a respeito dessa região de realidades múltiplas. Para isso, a elaboração dos episódios conta com a utilização de documentos e pesquisas historiográficas, além de entrevistas com estudiosos e agentes culturais.

“O nosso Podcast busca promover a visibilidade positiva deste território, que normalmente aparece na mídia devido a dois acontecimentos: tragédias ou grandes festas, a exemplo dos festejos juninos. Vamos transcender essas questões, apresentando um panorama da produção cultural e histórica, acontecimentos e particularidades de cada município que integra a região”, destaca a idealizadora e apresentadora do Podcast Calumbi, Adriana Santana.

A temporada pretende promover uma conexão histórica e identitária entre os moradores da região, que a partir dos episódios poderão compreender que as origens dos municípios se assemelham e que os nascidos nessa localidade são descendentes dos mesmos povos indígenas. “Conhecendo nossa história, vamos nos fortalecer enquanto grupo, ao mesmo tempo em que reconheceremos as identidades particulares”, frisa Adriana.

Ao final de cada episódio, serão apresentadas dicas de atrações turísticas, músicas, livros, filmes e outros conteúdos produzidos nos municípios ou sobre os municípios, para fazer circular a produção cultural local.
Nesta temporada, as cidades serão apresentadas de acordo com a ordem em que foram emancipadas politicamente. O episódio de lançamento aborda a história e a cultura de Campo Formoso, primeira a se emancipar no território depois de Senhor do Bonfim. Conhecida como “capital dos minérios”, devido à grande riqueza do seu solo, Campo Formoso também se destaca como a localidade que deu início ao povoamento da região.

O Podcast Calumbi está disponível gratuitamente em todas as plataformas de streaming, como: Spotify, Deezer, Amazon Music, Pocket Casts, Google Podcasts e Youtube.

A segunda temporada do programa tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e do Centro de Culturas Populares e Identitárias (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Link do Podcast Calumbi no Youtube:
https://www.youtube.com/channel/UCbAudiFFMTlZBdRRSWjB8Rw

Link do Podcast Calumbi no Spot:

Lorena Simas
Assessora de Comunicação do Podcast Calumbi


Festival Balaiano abre convocatória para artistas de toda Bahia


Propostas nas áreas de teatro, dança, música, audiovisual e fotografia podem ser inscritas entre 10 e 16 de fevereiro.

Artistas de toda a Bahia, atuantes nas mais diversas linguagens artísticas, estão convidados a participar da 1ª edição do Festival Balaiano, que  selecionará apresentações de teatro, música e dança, mostras de fotografia, filmes e artesanato para compor a sua programação. O festival acontece de forma online, através do youtube, em dois finais de semana consecutivos, 12, 13 e 14  de março e 19, 20 e 21 do mesmo mês. Os trabalhos selecionados para participar do evento também receberão uma premiação. As inscrições são gratuitas e acontecem de 10 a 16 de fevereiro, através do site: www.festivalbalaiano.com.br. Os interessados também podem acompanhar as informações através do instagram @festivalbalaiano e facebook /festivalbalaiano.

A iniciativa tem como objetivo contemplar a diversidade cultural do estado da Bahia através de seus seis macroterritórios e propor uma rede colaborativa entre esses artistas. A equipe da curadoria, responsável pela seleção dos candidatos, será composta por representantes de diferentes segmentos artísticos da capital e do interior e pretendem selecionar 12 apresentações musicais, 12 performances, 6 exposições fotográficas e 6 curtas-metragens de produção baiana e independente para integrar o evento. Dentre os critérios para seleção, serão priorizadas as produções realizadas por mulheres cis e/ou transgêneras, e temáticas que envolvam a promoção da equidade de gênero, igualdade racial e acessibilidade.

O Festival Balaiano nasce a partir da inquietação de um grupo de produtores culturais em encontrar novas maneiras de fomentar a arte e estimular a formação de cadeias produtivas artísticas baianas. De acordo com os coordenadores do projeto, André Oliveira, Edmilia Barros e Angela Marques, a proposta é evidenciar grupos criativos pouco conhecidos e engajá-los a interagir com artistas semelhantes, como forma de fortalecer e disseminar as produções por todas as regiões do estado. Cada dia do festival terá um dos macroterritórios em destaque e homenageará uma personalidade local que tem especial contribuição às artes e cultura baiana.

Banco Cultural para integração de artistas

Além da realização do festival, o projeto tem como propósito criar um banco cultural para integração de artistas baianos através de um site. A ideia é disponibilizar um espaço para cadastro de profissionais das mais diversas áreas artísticas para promover encontros, debates e o fomento da arte produzida no estado. “A produção artística e cultural da Bahia é muito rica e diversa. Nossa intenção é fortalecer o reconhecimento dessas  manifestações e promover um elo entre capital-interior, tradicional-moderno, artesanal-tecnológico e  som-imagem, através de uma rede que chegue nos quatro cantos do estado e ajude a preservar saberes e práticas criativas”, afirma a coordenadora de comunicação do projeto, Rafaela Bandeira.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

SERVIÇO:

Convocatória para Festival Balaiano

Inscrições: De 10 a 16 de fevereiro no site: www.festivalbalaiano.com.br

Realização do Festival: 12, 13, 14, 19, 20 e 21 de março

Instagram: @festivalbalaiano

Facebook: /festivalbalaiano

 

Informações à imprensa

Gisele Santana

(71) 98872-5492

[email protected]


Live de Raquel Wesley movimenta YouTube e facebook no dia 27 (sábado)


O espetáculo, que tem a produção musical de Veva Show e Nega Dell, com participação especial de Pablo Wesley, traz de volta aos palcos regionais uma compositora, cantora de voz potente e universo singular que encanta com a voz aguda de soprano e performances inusitadas.

Nascida em Paranavaí/PR, Raquel chegou em Petrolina aos 7 anos de idade e logo chamou atenção em meio a uma família de músicos e artistas renomados. A cantora já abriu apresentações e dividiu o microfone com nomes a exemplo de Moraes Moreira, Vital Farias, Zezé Mota e Xangai. Para a Live do dia 27, Raquel concebeu um repertório todo especial, onde não faltarão números marcantes do cancioneiro nordestino e surpresas como as releituras musicais que preparou para as homenagens que irá fazer aos poetas Aldir Blanc (Resposta ao Tempo) e Manuca Almeida (Pop Zen).

Autora do livro de poemas ‘Órfã de filho…alfa no Pai!’, Raquel Wesley, também vai recitar alguns dos versos que já são marcas conhecidas do público sanfranciscano. Uma gente que aprendeu a admirar a artista que experimenta, ousa, provoca e surpreende. Clas Comunicação e Marketing